Videocirurgia

Apendicectomia - Retirada do Apêndice Cecal

Sobre a Cirurgia

Indicação cirúrgica

Indica-se a cirurgia, com urgência, para que o apêndice cecal inflamado não rompa para dentro da cavidade abdominal, causando uma infecção maior.

Marcação da cirurgia

Geralmente, a cirurgia é marcada com urgência, respeitando o tempo de jejum de no mínimo seis horas. São necessários exames laboratoriais e avaliação cardiológica pré-operatórios.

Internação hospitalar

Geralmente, a internação ocorre no mesmo local em que o paciente está sendo avaliado. Com o jejum de no mínimo seis horas, inclusive sem água, realiza-se o procedimento sob anestesia geral. A cirurgia varia entre 30 minutos a uma hora, dependendo das condições locais de inflamação ou infecção.

Geralmente, pode ser realizada, em 99% dos casos, por videolaparoscopia, necessitando a conversão (passagem da cirurgia de videolaparoscopia para a convencional – aberta) em 1% dos casos.

Cirurgia

São feitas três incisões: uma de 1cm na cicatriz umbilical (por onde é colocada a câmera com visualização em um monitor, dando ao cirurgião uma visão em HD- alta definição, com 20 vezes de aumento e uma luz muito potente); outra de 1cm, à esquerda, e mais abaixo da cicatriz umbilical; outra de 5mm logo abaixo das costelas, à direita, por onde são colocadas pinças para soltar o apêndice cecal.

O abdômen é insuflado com gás carbônico, para que o cirurgião possa ter espaço para enxergar dentro da cavidade abdominal, e o apêndice cecal é retirado dentro de uma bolsa plástica (para proteger de infecções) pela cicatriz umbilical. Para soltar o apêndice cecal pode ser necessária a utilização de pequenos clipes metálicos de 3mm cada (são utilizados, em média, quatro), que ficam na cavidade abdominal, definitivamente, sem causar danos ao organismo, pois são de titânio, um material que não provoca reação de corpo estranho. Retira-se, ao final do procedimento, o gás carbônico.

Dependendo da evolução da infecção do apêndice cecal, pode haver pus localizado junto ao apêndice cecal ou espalhado por dentro cavidade. Necessita-se lavar a cavidade abdominal, com soro fisiológico, até a plena limpeza.

Quando não se consegue a limpeza adequada por videolaparoscopia, o cirurgião pode optar pela realização da cirurgia aberta.