Videocirurgia

Esofagectomia - Retirada Parcial ou Total do Esôfago

Pós-Operatório

Por ser uma cirurgia de grande porte, normalmente requer que o paciente fique na UTI - Unidade de Terapia Intensiva - por dois ou três dias, dependendo de sua evolução pós-operatória. Após a UTI, o paciente é liberado para o quarto.

No quarto, o paciente já terá condições de levantar e caminhar. Deve levantar bem devagar e em etapas: primeiro, elevar a cabeceira da cama, aguardar 15 minutos, sentar na cama com os pés para fora, aguardar mais 15 minutos, para, então, levantar - sempre com ajuda de alguém. Deve chamar a enfermeira para ajudá-lo. Mesmo assim, na primeira vez em que levantar, o paciente ainda poderá ter tonturas, náuseas e vômitos, taquicardia, hipotensão postural, sudorese e mal-estar, os quais devem passar após estas primeiras levantadas.

Sempre haverá medicação para dor leve, moderada ou forte, e também em caso de náuseas ou vômitos. O paciente deve solicitar à enfermeira quando necessário.

Conforme a avaliação do Dr. De Carli e a evolução do paciente no segundo ou terceiro dia de pós-operatório, inicia-se a dieta líquida, a qual progredirá na medida em que o paciente se sinta bem. A progressão da dieta evolui (água/ dieta líquida/ pastosa e branda) até o paciente se sentir completamente satisfeito e recuperado, o que pode corresponder em 7 a 10 dias. Considerando que a videolaparoscopia permite uma ótima recuperação, com muito menos dor do que a cirurgia aberta ou convencional, o período de internação hospitalar deve ser muito menor.

Alta hospitalar

Geralmente, se não apresentar nenhuma complicação, o paciente pode ter alta hospitalar até o décimo dia de pós-operatório. Ele receberá instruções da equipe médica quanto a curativos, drenos e eventuais dores. Micropores são colocados sobre as incisões e devem permanecer até retorno ao cirurgião, dentro de 10 dias. Podem ser molhados durante o banho e secam no lugar. Se o paciente quiser, pode passar um secador no local.

O paciente pode caminhar à vontade (quanto mais caminhar, melhor). Pode subir e descer escadas, se abaixar, se esticar e dirigir o carro. Deve apenas evitar esforços físicos e esportes, como carregar peso, correr, nadar, fazer ginástica - pelo período de 60 dias.

Retorno às atividades

O paciente pode retornar ao trabalho quando estiver se sentindo bem. Geralmente, isso ocorre em torno de 15 a 30 dias, dependendo da evolução pós-operatória. O limite da movimentação é a dor. Se não tiver dor, a pessoa pode realizar o que quiser.