Videocirurgia

Ooforectomia  - Retirada Parcial ou Total de Ovário

Sobre a Cirurgia

Indicação cirúrgica

Presença de nódulo sólido sem origem definida.

Cisto de ovário maior do que 5 cm.

Marcação da cirurgia

Geralmente, a cirurgia é marcada para o dia escolhido por cirurgião e paciente. São necessários exames laboratoriais e avaliação cardiológica pré-operatória para que a cirurgia ocorra com segurança.

Internação hospitalar

O paciente é internado uma hora antes da cirurgia marcada, em jejum, sem água, de, no mínimo, oito horas.. O procedimento é realizado sob anestesia geral. A cirurgia varia de 30 minutos a uma hora, dependendo das condições locais de inflamação ou infecção. Geralmente, pode ser realizada, em 99% dos casos, por videolaparoscopia, necessitando a conversão (passagem da cirurgia de videolaparoscopia para a convencional – aberta) em 1% dos casos.

Quando existe suspeita de lesão maligna, o ovário é retirado dentro de uma bolsa plástica para evitar a disseminação tumoral dentro da cavidade abdominal. No mesmo momento, durante a cirurgia, é realizado o exame anátomo patológico por “congelação”(a peça cirúrgica fica congelada pelo nitrogênio líquido para facilitar os cortes) para definição do tipo de tumor (benigno ou maligno) e o tratamento definitivo.Se o tumor for maligno deve ser realizada cirurgia oncológica completa com a retirada dos ovários, trompas, útero e grande epíploon (segmento de gordura preso ao cólon e estômago).A decisão é previamente acertada com a paciente e familiares. Se o tumor for benigno somente é retirado o tumor que está envolvendo o ovário, podendo ser realizada a ressecção de parte ou de todo o ovário.

Cirurgia

São feitas três incisões: uma de 1 cm acima da cicatriz umbilical (por onde é colocada a câmera que oferece ao cirurgião, pelo monitor, uma visão em HD – alta definição , com 20 vezes de aumento e iluminação potente); outra de 1 cm, `a esquerda, e abaixo da cicatriz umbilical, e outra de 5 mm, à direita, e abaixo da cicatriz umbilical, por onde são colocadas as pinças para soltar o ovário. O abdômen é insuflado com gás carbônico para que o cirurgião possa enxergar dentro da cavidade abdominal. O ovário é retirado dentro de uma bolsa plástica pela cicatriz umbilical ou pela ampliação de uma das incisões. Retira-se, ao final do procedimento, o gás carbônico.

Após a cirurgia, o paciente fica na sala de recuperação por três a quatro horas, acompanhado diretamente de uma enfermeira. Quando sentir-se melhor, será então liberado para o quarto.